934-990-675 ☖ Rua Vasco da Gama 1A, Santarém (Por trás do W Shopping) contact@vidaclinic.pt

Perguntas Frequentes

O que é a Quiroprática?

É uma terapia que trata da coluna vertebral e da sua interação com o sistema nervoso. Melhora a sua saúde e o funcionamento do seu corpo ajustando a posição dos componentes da coluna e estimulando o sistema nervoso.

O que é o Movimento Funcional?

São movimentos e exercícios que, de forma progressiva, corrigem desequilíbrios e aumentam a mobilidade e o controlo motor. Ajudam-no a recuperar o controlo do seu corpo e preparam-no para os movimentos do dia-a-dia.

Qual a diferença entre a Quiroprática, a Osteopatia e a Fisioterapia?

Não há uma só quiroprática, nem uma só osteopatia, nem uma só fisioterapia. Dependendo da pessoa/equipa envolvida, podem ter maior ou menor sobreposição mas ao mesmo tempo todas têm diferenças fundamentais. O melhor será contactar-nos para conhecer a nossa quiroprática.

Artigo: Qual é a diferença entre a quiroprática, a fisioterapia e a osteopatia?

O que são ajustamentos?

São procedimentos que um quiroprático executa com as suas mãos ou com um pequeno dispositivo e que consistem em movimentos rápidos mas controlados e gentis aplicados às vértebras e bacia. São escolhidos de forma muito específica e com a intenção de mobilizar articulações, corrigir progressivamente a posição dos componentes da coluna e bacia e aumentar a estimulação sensorial do sistema nervoso e cérebro, melhorando o seu funcionamento.

É possível corrigir a forma da coluna num adulto?

Sim. Dependendo do estado de degradação da mesma, pode não ser possível torná-la perfeita mas é sempre possível melhorá-la. A degeneração dos ossos (artrite) e dos discos não é revertida mas, uma vez corrigida a fonte do problema, pode ser parada ou abrandada.

Com que idade devo começar a preocupar-me com a coluna dos meus filhos?

Desde que nascem! Sim, os recém-nascidos podem ter problemas na coluna. Podem ser causados por defeitos congénitos, por anomalias do útero que limitam a movimentação do feto ou por lesões ocorridas durante o parto, especialmente nas cesarianas. A adolescência é outro período problemático.

Artigo: 5 Formas de Detetar uma Escoliose

Se já sou idoso, será que ainda vale a pena tentar corrigir a minha coluna?

Vale a pena tentar melhorar a sua qualidade de vida. Se for muito idoso e com muitos problemas na coluna, talvez seja difícil corrigir a estrutura da sua coluna mas pelo menos pode-se tentar melhorar o seu funcionamento e o do seu sistema nervoso e cérebro. Isto pode trazer-lhe diversos benefícios tais como melhor mobilidade, equilíbrio, coordenação, noites mais bem dormidas e melhor funcionamentos dos seus sistemas de órgãos como a digestão. Talvez nao fique perfeito mas estas melhorias podem ser o suficiente para conseguir continuar a fazer as atividades que gosta.

Se tenho dores nas costas não seria melhor descansar e evitar esforços?

À primeira vista parece um bom conselho. Contudo, a falta de atividade tem um impacto negativo no seu corpo: perda de musculatura e da respetiva força, perda de flexibilidade, aumento de peso, depressão, falta de equilíbrio, medo, inflamação e dores crescentes. Quando usado corretamente, o movimento é uma ferramenta fantástica para sarar e diminuir a dor.

Artigo: O PIOR CONSELHO Para as Dores nas Costas

É o meu excesso de peso que causa as minhas dores de costas?

Sim e não. O excesso de peso pode contribuir para a dor, pode agravar o stress mecânico a que o corpo é sujeito ou pode ser uma consequência paralela de um estilo de vida pouco saudável, esse sim a raiz do problema. Contudo, simplesmente perder peso não resolve o problema, é apenas uma das peças do puzzle.

Artigo: Será o excesso de peso a causa de dor nas costas?

Devo aceitar submeter-me a cirurgia?

Embora quase todas as pessoas sintam dores nas costas nalgum ponto da sua vida, isso não é razão para optar de imediato pela cirurgia. Se sente dor, tente as opções menos invasivas primeiro. A cirurgia é algo que pode sempre ser feito como último recurso mas não pode ser desfeito. Para muitas condições, o resultado a longo prazo (dor e incapacidade meses ou anos mais tarde) não é melhor do que com métodos mais conservadores que são menos invasivos e têm menos complicações potenciais.

Os coletes corretivos para a escoliose são recomendáveis?

Os coletes não melhoram as curvaturas da coluna. Na melhor das hipóteses, limitam a sua progressão. Simultaneamente, ao limitarem severamente os movimentos da coluna, limitam também a estimulação do sistema nervoso, incluindo o cérebro. Tal como um músculo, o cérebro requer estímulos e uso para se desenvolver e crescer adequadamente, caso contrário perde funcionalidade.

Existem outros tratamentos possíveis para além dos coletes que deve considerar.

Artigo: Como Tratar a Escoliose

Se me dói o joelho, a cabeça ou o ombro, o que é que isso tem a ver com a coluna?

Todas as partes do nosso corpo estão interligadas. A razão pela qual verificamos toda a sua coluna, mesmo as partes que não doem, é para nos certificarmos de que estamos a corrigir a raiz do problema. Por exemplo, se o seu pescoço não se movimenta adequadamente, essa deficiência de movimento vai afetar também o movimento de outras áreas, tais como os ombros ou a região lombar. Além disso, os nervos que enervam as diversas partes do corpo, onde pode ter sintomas, passam pela coluna, onde podem estar a ser afetados.

Artigo: Como fazemos a nossa avaliação?

Não me pode só “estalar” a coluna?

Não. Por duas razões: Primeiro, o nosso tratamento não é uma cura instantânea e sabemos que, mesmo que se sinta muito melhor após um único ajustamento, o seu corpo não teve tempo para criar novos padrões de movimentação ou curar a atual disfunção. Segundo, nunca ajustamos pacientes novos sem fazer previamente uma análise completa do seu corpo, certificando-nos de que podemos de facto ajudá-los. Só então podemos ajustar cuidadosamente cada área problemática e conceber uma rotina de movimentos que melhor se adeque a cada caso.

Se tenho dores, não devia parar o tratamento na clínica?

Dor e lesões são coisas distintas. Pode ter lesões e disfunção sem ter dor e vice-versa. Por outro lado, se não move algumas das suas articulações há muito tempo e começa agora a movimentá-las na nossa clínica é natural que sinta algum desconforto. É parte do processo de recuperação da mobilidade natural e ótima dessas articulações.

Porque é que o tratamento leva tanto tempo?

Terapias pontuais podem melhorar temporariamente os seus sintomas mas, para uma verdadeira cura e correção, o seu corpo precisa de um esforço consistente e de tempo para se adaptar.

O seu corpo adapta-se aos estímulos que recebe consistentemente. É por esta razão que o nosso tratamento também inclui treino de movimento funcional.  Estamos a tentar ajudá-lo a recuperar da disfunção que tem e a construir padrões de movimentação adequados que ajudem o seu corpo a funcionar corretamente, evitando problemas futuros.

Quando terminar o tratamento não volta logo tudo ao mesmo?

Não. O processo de degradação da sua coluna que o trouxe à nossa clínica, tirando casos excecionais, não aconteceu de um dia para o outro mas sim ao longo de anos. Dependendo do nível de stress na sua vida e dos seus hábitos, pode continuar a exercer uma pressão negativa sobre a sua saúde. Contudo, parte da nossa ação é ajudá-lo a modificar esses hábitos e retreinar os seus padrões de movimento, diminuindo essa pressão. Por outro lado, uma vez ultrapassando a fase inicial de recuperação, temos planos de manutenção para o ajudar a manter o que conquistou.

Porque é que por vezes a dor aumenta sem razão aparente, mesmo quando tenho tido cuidado?

Por vezes, as crises parecem acontecer sem qualquer razão. Naturalmente, procuramos a sua causa nos movimentos e atividades que fizemos recentemente. Contudo, qualquer situação que desencadeie um processo inflamatório pode fazer com que comece a sentir dor, mesmo que não esteja pior. Está só mais sensível. Estas situações podem ter as origens mais variadas desde o stress emocional à alimentação pouco saudável.

Artigo: O que causa as crises de dor?

Que roupa devo usar na Vida Clinic?

Não precisa de vestir roupa desportiva. Basta que seja roupa na qual se sente confortável e que lhe permita ter liberdade de movimentos. As senhoras devem evitar as saias e vestidos.

Porque é que a Vida Clinic tem um aspeto tão diferente das clínicas tradicionais?

Quando idealizámos a Vida Clinic, sabíamos que teria de ser uma clínica diferente. Queríamos que fosse espaçosa e luminosa. Queríamos que o seu ambiente apoiasse o processo de recuperação de todas as formas possíveis. O ambiente onde é efetuado um tratamento pode ter um impacto direto e significativo na forma como se sente e na recuperação da saúde do seu organismo.

Artigo: Porque é que a Vida Clinic tem um aspeto tão diferente das clínicas tradicionais?