A maioria dos adultos que observamos na nossa clínica têm colunas vertebrais com um aspeto pouco saudável. Observamos frequentemente colunas que perderam as suas curvaturas naturais (observáveis de lado nas regiões do pescoço e lombar) e desequilíbrios da bacia. Estes desvios estruturais afetam o equilíbrio e o funcionamento de todas as partes do corpo.

Estes problemas não se desenvolvem do dia para a noite. Pelo contrário, são o resultado de anos de más posturas da coluna mantidas durante longos períodos de tempo. Em muitos casos, os problemas podem estar relacionados com o facto de passar o dia sentado – e isto começa logo na escola.

É alarmante observar estas alterações também em crianças. Apesar de ainda não terem o mesmo nível de deterioração óssea e danos nos discos intervertebrais que observamos em adultos, os seus raios-X já revelam perda das curvaturas e desequilíbrios da bacia.

 

Estar sentado na escola por períodos prolongados, pode estar a prejudicar a coluna vertebral dos seus filhos.

 

Vamos seguidamente explicar como é que o estar sentado pode ser a causa destes problemas.

 

Na região lombar:

Existem músculos que se prolongam desde a parte inferior da coluna vertebral até às ancas e pernas, os quais dão estabilidade ao corpo quando de pé e mantêm a bacia numa posição equilibrada durante a marcha. Estes músculos são os flexores da anca. Enquanto estamos sentados, os flexores da anca estão na sua posição retraída e curta. Quando se senta por longos periodos de tempo (mais de 30 minutos), os músculos começam a adaptar-se a esta posição. Chama-se a isto “encurtamento crónico”.

Ao mesmo tempo que os flexores da anca estão encurtados, enquanto nos sentamos, os glúteos estão alongados e enfraquecidos.

Quando nos levantamos após horas sentados, os nossos músculos, bem como a bacia e a coluna, não regressam imediatamente à sua posição equilibrada e neutra. A postura e os músculos de suporte permanecem desequilibrados. A coluna fica plana, ou até arredondada para a frente (ao contrário do que é suposto).

Ao repetir este processo, dia após dia, a coluna acaba eventualmente por ficar permanentemente numa posição deficiente, aumentando o stress sobre os discos entre as vértebras, sobre as articulações e sobre os ossos, predispondo o corpo à dor, escoliose, lesões, hérnias e artrites.

 

No alto das costas e no pescoço:

Um dos problemas posturais mais comuns é a postura de cabeça adiantada.

Vivemos num mundo de inclinações para a frente. Ficar sentado durante longos períodos, o uso repetitivo de computadores, TV, videojogos e até mochilas, causam a postura de cabeça adiantada.

Idealmente, a cabeça deve posicionar-se diretamente por cima do pescoço e ombros. Esta é uma posição estável e forte para o corpo suportar o peso da cabeça. Sustentá-la adiantada, fora do alinhamento, exerce muito desgaste no pescoço e músculos do alto das costas. Isto cria fadiga muscular. Se alguma vez já observou uma criança sentada e dobrada sobre uma secretária, a apoiar a cabeça nas mãos, isto é um sinal claro que já estão sentados há demasiado tempo e o seu corpo já não consegue manter a cabeça naquela posição pouco saudável.

Uma vez que o pescoço e os ombros têm de suportar a cabeça todo o dia, os músculos tornam-se cronicamente contraídos. Nos músculos afetados, isto causa perda de fluxo sanguíneo, danos, fadiga, desgaste, tensão e eventualmente dor (especialmente à medida que o corpo envelhece e se torna menos resistente aos danos). Esta postura anormal também está associada a dores de cabeça e outros problemas emocionais, de concentração, de pressão sanguínea e de capacidade pulmonar.

 

É também importante saber que estes tecidos posturais e da coluna vertebral, quando sujeitos a cargas significativas durante largos períodos de tempo, se começam a deformar e a sofrer alterações de acomodação que se podem tornar definitivas.

 

É por essa razão que muitos pais saem frustrados nas suas tentativas de insistir com os filhos para se sentarem direitos. Devido às alterações que ocorreram por acomodação, talvez a criança já não consiga por si só manter uma boa postura.

Eis o que pode fazer para ajudar a evitar que as crianças desenvolvam uma má postura, com todos os problemas de saúde associados:

 

  • Limite o tempo que passam sentados. Motive-os para se levantarem e para mudarem de posição periodicamente. Se necessário, limite o seu uso de computadores, tablets, smartphones e televisão. Uma estratégia que funciona bem é colocar um alarme para se levantarem e mudarem de posição a cada 45 minutos ou menos. Ao mudarem de posição, mesmo que por um par de minutos, eles podem reduzir o stress acumulado por estarem sentados.

 

  • Motive-os para praticarem desporto e terem uma vida ativa fora da escola. Quanto mais forte for o seu corpo, mais resistente será aos efeitos negativos de passar tempo sentado.

 

 

Dedicados à sua saúde,

Vida Clinic