Há duas razões principais pelas quais a maioria das pessoas adiam o envolvimento num estilo de vida fisicamente ativo. A primeira razão, é que muitas pessoas categorizam movimento como “exercício físico”, e têm a percepção que o exercício físico tem que ser algo que nos deixa fisicamente esgotados. A segunda razão é que “não têm tempo”, devido à ideia que é necessário dedicar longos períodos de tempo a fazer exercício. Isto não é necessariamente verdade, porque sabemos agora que simplesmente exercitarmo-nos de forma consistente, para melhorar o controlo do nosso corpo, estabelecendo uma relação mais próxima com os nossos movimentos, pode ajudar de forma muito significativa a criar estabilidade na coluna vertebral e possibilitar uma maior liberdade de movimentos para o indivíduo. Isto pode ser conseguido com um equilíbrio entre exercício físico e movimentos variados através de um treino funcional, explorando as capacidades de movimento do nosso corpo.

 

Muitos estudos têm referido a importância do exercício físico e do movimento na nossa saúde. Um estudo por Booth el al. [2002] sugeriu que o exercício é mesmo um requisito genético, que é necessário para os seres humanos prevenirem doenças e terem saúde. O que descobriram foi que mesmo com períodos curtos de exercício moderado, o estímulo recebido é essencial para o funcionamento normal do sistema nervoso central. Se considerarmos o movimento como um nutriente essencial para o nosso corpo, torna-se óbvio que estabelecer para nós próprios uma rotina diária em que desafiamos fisicamente o nosso corpo tem imensos benefícios para a nossa saúde. Esta analogia também faz com que seja mais fácil compreender porque é que a falta de movimento pode causar a deterioração da nossa saúde de uma forma geral, causando perda de controle e instabilidade que leva a dores e aumentando o risco de desenvolver doenças crónicas. Se não usar o seu corpo, se não o desafiar diariamente, não existe o estímulo que é necessário para termos um corpo saudável e uma mente saudável e feliz. Isto pode ser feito com 20 a 30 minutos por sessão (ou menos, dependendo da frequência com que se exercita). No que diz respeito ao tipo de movimentos: rastejar, rolar, fazer agachamentos, fletir-se, saltar, empurrar, puxar, abaixar-se e levantar-se, equilibrar-se, carregar objetos e praticar movimentos de controle da coluna vertebral, são apenas algumas das formas para começarmos a criar uma base equilibrada de força e controle do nosso corpo para vivermos mais e melhor.

 

A dor e o desconforto são sinais que nós como uma sociedade passamos a aceitar como parte das nossas vidas. Geralmente achamos que é algo que temos que aguentar à medida que envelhecemos e imediatamente procuramos apoio médico quando sentimos uma nova dor. Embora haja um tempo e um lugar para intervenções médicas, muitas dores que nos incomodam, assim como o desconforto físico de uma forma geral, podem ser devidas à falta de movimento na vida do indivíduo. Para vivermos livres de dores crónicas e de doenças, o corpo precisa de se movimentar de forma consistente. E é preciso cuidar do nosso corpo, tanto em termos da nossa alimentação, como em termos de pensamento positivo e ação, de uma forma que assegure que o mesmo possa suportar uma vida plena de movimentos.

 

Devido aos nossos trabalhos de escritório em que passamos o dia sentados à secretária; ou como crianças e jovens, sentados nas escolas; sentados em família na sala de estar nas nossas casas; devido à forma como a nossa sociedade está estruturada, as nossas vidas cada vez menos são propensas a movimentarmo-nos de forma consistente e consciente, e por isso vivemos, como sociedade, com dores crónicas e doenças.

A Quiroprática entra neste cenário porque produz micro-movimentos na coluna vertebral, para estimular o corpo a recuperar o funcionamento normal do sistema nervoso, tornando assim o nosso corpo propenso a um melhor estado geral de saúde. Porque todos os movimentos começam na coluna vertebral, podemos usar este estímulo para melhorar o nosso controle e harmonia dos movimentos do corpo de uma forma geral. É por este motivo que os cuidados quiropráticos combinados com um treino regular de movimentos funcionais que inclua estabilidade, coordenação motora, resistência muscular, consciência do próprio corpo, e a capacidade de explorarmos de forma geral os nossos movimentos, pode ajudar a melhorar imenso todas as vertentes da nossa saúde e reverter os efeitos de estilos de vida pouco saudáveis.

 

Dê o primeiro passo para começar a sentir-se melhor: a Vida Clinic tem uma nova sugestão, sessões de Treino Funcional. um método de treino que tem de facto benefícios para o seu corpo em vez de o desgastar. A consulta de avaliação é gratuita para quem aderir ao Treino Funcional – entre em contacto!